Os curiosos lagos vulcânicos de águas termais em Beppu, Japão

Em Beppu, na Ilha de Kyushu, província de Oita, concentram-se 10% das fontes termais do Japão que são mais de 2.800 em 125 Km².

Mas antes de falar sobre as fontes termais, trarei algo bom para você que pretende viajar, independente do lugar!

Este painel abaixo encontra promoções em hotéis ou pousadas em qualquer lugar, basta que você coloque o nome da região ou hotel que gostaria de ir.

Clique em “ver todas as ofertas” para que você tenha acesso a todas as promoções disponíveis : – )



Booking.com

Formação dos lagos vulcânicos

Umi Jigoku - 2

Formados pela atividade vulcânica das montanhas da região, os lagos de água quente provêm dos montes Tsurumi e Garan.

Ambos vulcões ativos a Oeste da cidade, junto com o Monte Yufu, formam uma paisagem elíptica que se perde em meio as nuvens de vapor das fontes que nascem por toda Beppu. 

Sobre a coloração dos lagos vulcânicos

Os minerais dão cores diversas aos lagos vulcânicos que vão do vermelho ao azul cobalto intensos.

Chamados de Inferno, os turistas procuram a cidade por causa do banho de águas termais (onsen), banhos medicinais como terapia e como lazer.

O turismo nos lagos vulcânicos de Beppu

Umi Jigoku

Foram criados roteiros e passeios guiados com o nome de Jigoku Meguri (peregrinação pelo inferno). No roteiro Jigoku Meguri é possível conhecer oito lagos e fontes vulcânicas.

O lago Umi Jigoku (inferno do Mar) formado há 1.300 anos, tem a cor azul cobalto devido ao sulfato de ferro presente em grande quantidade na água que nasce a mais de 200 metros de profundidade.

Sua água chega a 98 graus C, próprio para cozinhar ovos em alguns minutos.

Curiosidades sobre os lagos vulcânicos de Beppu

Shiraike Jigoku - 2

Shiraike Jigoku

Já as águas do Shiraike Jigoku é transparente na fonte, mas torna-se esbranquiçada ao contato com o ar devido ao sal de ácido bórico.

Outro de tom esbranquiçado é o Oniyama Jigoku, pendendo para o verde, um local de criação de jacarés, apelidado de Wani Jigoku (inferno de jacarés).

O mais incrível e surpreendente é o Chi no Ike Jigoku (inferno do Lago de Sangue ou Córrego do Sangue Quente.

Sua água é de um vermelho intenso, chega a 78 graus C e sua fonte de líquido ferroso, despeja 1.800 quilolitros por dia e dele é feito um remédio bom para cicatrizar feridas. 

Chi no Ike Jigoku - 1

Chi no Ike Jigoku

Infernos sem os lagos vulcânicos também existem em Beppu

Tatsumaki Jigoku

Há porém infernos que não formam lagos.

O Tatsumaki Jigoku pode-se apreciar os gêiseres ou jatos de vapor de água quente lançados a temperatura de 101 graus C em intervalos de 20 a 40 minutos.

Não se corre o risco de queimaduras por causa das paredes e teto de pedra instaladas junto às saídas dos jatos.

O Yama Jigoku e o minizológico

Yama Jigoku

Já no Yama Jigoku, o vapor sai pelas fissuras do chão de pedra com temperatura do vapor de 90 graus C.

Um minizoológico aproveita o aquecimento das águas, nele possui 17 espécies de animais como:

  • elefante
  • hipopótamo
  • macaco
  • pavão
  • entre outros

Oniishi Bonzu Jigoku

O lago visitado pelo roteiro de ônibus (o roteiro mais antigo do país, ainda em atividade) é o Oniishi Bonzu Jigoku.

Nele havia um Templo Budista no local que foi pelos ares em uma explosão.

Essa explosão foi causada por um terremoto em 1489 com bolhas de lama que surgiram de uma fissura a mais de 90 graus C.

Está gostando do conteúdo?

Junte-se a comunidade dos Loucos Por Férias para receber gratuitamente artigos em primeira mão, dicas e pacotes promocionais de viagens inesquecíveis!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *